BEM-ESTAR

Suculentas verdes e roxas

Veja modo correto de cultivar
suculentas para seu bem-estar

Texto: Keuly Vianney

n.noticiar@gmail.com

19/06/2021

whats-logo.png

O cultivo de plantas ornamentais ganhou adeptos durante a pandemia e as suculentas se transformaram nas queridinhas de muita gente. Bonitas, fáceis de cuidar e bem adaptadas em espaços pequenos e ambientes internos, essa espécie de planta virou um  hobby e vem conquistando mais fãs que estão atrás de bem-estar e satisfação em deixar a casa mais agradável e próxima da natureza. 


Originária do continente africano, as suculentas são específicas do clima árido, quente e de sol, adaptando-se muito bem no Brasil. Existe uma variedade enorme da planta, pois elas conseguem reter água não apenas em suas folhas, mas também efetuam um tipo de reservatório no tronco, caule, talo e raízes, deixando-as "gordinhas" e muito bonitinhas.   

Você pode ter uma suculenta em casa e não sabe que se trata da planta: flor-de-maio, cactos, rosa de pedra, rainha da noite, kalanchoê, babosa, dedo de moça são apenas algumas delas.

 
Para a pesquisadora da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Ângela Nascimento, as suculentas são muito atrativas porque são fáceis de cuidar e propagar. Ela informa que essas plantas são capazes de se desenvolver de maneira saudável e bonita se cultivadas em condições ideais de luminosidade e com o substrato correto. 

Plantas na janela

Cultivo de suculentas deve estar em condições ideais de luminosidade

Como se sabe, as suculentas se dão bem em climas mais quentes, mas o sol e meia sombra são ideias para elas. “A maioria das suculentas se adapta bem às condições de alta luminosidade e exposição solar direta. Já outras se dão melhor em ambientes sombreados. Mas muitas conseguem sobreviver nas duas condições. Algumas espécies, quando expostas a muita luminosidade, podem apresentar belos tons de vermelho e laranja, devido à produção de pigmentos como antocianinas e carotenoides. A falta de luminosidade, por outro lado, faz com que as plantas fiquem estioladas, perdendo suas características ornamentais”, explica Ângela.

Nesta semana, a Epamig divulgou uma série de dicas para auxiliar no cultivo de suculentas em ambientes domésticos. Vale a pena acompanhar e aperfeiçoar o hobby de acordo com as condições de cada local de plantio. Confira abaixo as dicas de plantio, adubação e irrigação dessas plantinhas simpáticas:  

Substrato e irrigações
As suculentas englobam espécies que têm capacidade de armazenar água nos caules, folhas e raízes, sendo este acúmulo de líguido considerado estratégico para que as plantas consigam sobreviver em locais de pouca umidade.

 

A pesquisadora da Epamig, Thais Sales, explica que o substrato para plantio de suculentas deve apresentar boa capacidade de drenagem. “Substratos que acumulam muita água podem gerar apodrecimento das raízes. Então, para evitar o encharcamento, uma sugestão é utilizar vasos com furos e misturar um terço de areia lavada com o substrato ou terra vegetal”, alerta.

Irrigação das suculentas deve feita com substrato totalmente seco

Regando o jardim interno

Ainda de acordo com a pesquisadora, a frequência das irrigações varia de acordo com a localidade e a estação do ano. “As plantas devem ser regadas somente quando o substrato estiver completamente seco”, orienta Thais.

Propagação
A maioria das suculentas é propagada via folha ou pela separação de mudas formadas nas bases das plantas. Para a pesquisadora Ângela, a facilidade é mais um atrativo que estimula as trocas e coleções de suculentas. Outra dica fundamental é realizar a aclimatação da suculenta quando for necessárias a mudança de lugar. 

“Plantas que estão em ambientes como interior de supermercados e casas de vegetação sombreadas, se colocadas diretamente sob sol irão sofrer danos como queimas nas folhas. Ao adquirir uma nova suculenta, é fundamental expor a planta às novas condições gradualmente, para que possam se adaptar”, conclui a pesquisadora. (Com informações da Agência Minas)

VEJA MAIS