TURISMO

Serra (2).jpg

A centenária Capela de N.S. Aparecida 
na Serra da Tormenta

Reportagem e edição: Keuly Vianney

n.noticiar@gmail.com

09/10/2021

whats-logo.png

Em Carmo do Rio Claro, no Sul de Minas, a Serra da Tormenta é uma das principais atrações turísticas. Porém, é no seu ponto mais alto que se encontra o seu bem mais precioso: a Capela de Nossa Senhora Aparecida, que comemora seu centenário em 2021. Nesses 100 anos, a igrejinha no alto da serra muito revela sobre a história e a fé dos carmelitanos. 

Com os 1.287m de altitude da Serra da Tormenta, a Capela de Nossa Senhora da Aparecida tem sua importância não só regional, mas nacional, do ponto de vista da fé à padroeira do Brasil, pois é considerada um dos templos mais altos dedicados à Aparecida no país, sendo o feito reconhecido pelo grandioso Santuário de Aparecida, em Aparecida (SP).

Imagem de N.S. Aparecida colocada na capela sobre pedestal de pedras / Divulgação

IMG-20211009-WA0004.jpg

No próximo dia 12 de outubro, a paróquia de Nossa Senhora do Carmo, à qual a capela centenária pertence, vai celebrar uma missa especial em homenagem à padroeira do Brasil na tradicional construção. A celebração com o padre Michel Pires na terça-feira acontece às 7h aberta ao público, a primeira missa solene na capelinha desde o início da pandemia.

O historiador e filósofo Júnio César Oliveira Martins, um estudioso da história de Carmo do Rio Claro, explica a importância da capelinha no áudio ao lado enviado especialmente ao Noticiar.net.

A Capela de Nossa Senhora Aparecida possui cerca de 30 metros quadrados, sendo 5 metros quadrados de torre anexada na década de 1940. Depois de receber outras cores ao longo dos anos, nos últimos meses a igrejinha ganhou uma reforma para o centenário, destacando na fachada as cores amarela e branca. De acordo com Junio, essas colorações conseguem projetar a capela para que seja vista com seus contornos na parte de baixo da Serra da Tormenta.

Conforme o historiador, a necessidade de se construir uma capela no alto da Serra da Tormenta ficou mais evidente na primeira metade da década de 1920, decorrente do Concílio Vaticano I, da aparição da santa em Fátima em 1917, em Portugal, e da grande devoção à Nossa Senhora Aparecida por parte dos moradores de Carmo do Rio Claro.

Mutirão para construção da estrada da Serra da Tormenta em frente à Capela Senhor dos Passos / Foto: Divulgação

“O processo devocional à padroeira do Brasil cresceu muito entre as famílias brasileiras naquela época e os padres que aqui estavam viam a necessidade de propagar essa devoção à Virgem na cidade. Em 1917, inicia o movimento para se construir em cima da Serra da Tormenta”, conta Junio.

Assim, o padre da época solicitou aos moradores a construção da capela, onde seria consagrada a proteção da cidade à Virgem Maria, além de acalmar as tormentas de raios e chuvas comuns na serra. A partir de 1917, um marco histórico para a consolidação do sonho: começa-se a delinear o caminho para se chegar onde seria erguida a capelinha.

O terreno doado para erguer a capela partiu do capitão Tito Carlos Pereira, dono de toda serra e devoto de Aparecida, como informa o historiador. Ele doou à cúria três litros de terra, em termos de área na linguagem da época.

O historiador Junio informa que, num segundo momento, os carmelitanos produziram na própria cidade os tijolos que seriam empilhados para dar forma à casa de Nossa Senhora Aparecida. “Entre 1918 e 1920, os moradores levaram os tijolos na cabeça ou nas costas em caminhadas até o topo da serra. Eles iam orando em procissões. Tijolos também foram levados em carros de boi ou no lombo de mulas”, lembra, revelando a precariedade do transporte na época.

Em janeiro de 1921, a capela na cor branca e levemente amarelada estava pronta para ser inaugurada, num estilo arquitetônico simples e de linhas retas (ouça mais um áudio ao lado do historiador Junio sobre o estilo da igrejinha e algumas mudanças ocorridas ao longo do tempo, como a cor anterior branca com detalhes em vermelho). Desde então, a capelinha abriga a imagem de Nossa Senhora Aparecida, que possui estilo barroco do século 19 e já com a iconografia da santa com o manto azul, a qual é reconhecida hoje por todo país.

Sobre a data exata da inauguração oficial da capela centenária, o historiador Junio diz que há uma controvérsia. Na ata de tombo da paróquia, o padre Cipriano Canton e o Monsenhor Faria a inauguraram em 21 de janeiro de 1921, com a participação dos moradores.

Serra (1).jpg

“Mas há fotos datadas de 5 de maio de 1921, com a presença do bispo de Guaxupé, Ranulpho da Silva Faria. Não há fotos do evento em janeiro. Pode ser que o bispo esteve presente em Carmo do Rio Claro 4 meses depois para inaugurar a capela, mas não há como confirmar”, explica Junio. Veja mais fotos históricas abaixo:

Bispo, padres e convidados no interior da capelinha em maio de 1921 com a imagem de Nossa Senhora / Fotos: Divulgação

capela-carmo1.jpg
capela-carmo.jpg

Foto da década de 1940 já com a torre construída ao lado da capela 

Visita do bispo de Guaxupé na Serra da Tormenta em 5 de maio de 1921, atraindo muitos moradores 

capela-carmo3.jpg

VEJA MAIS