2019  © Copyright Noticiar.net

Saboaria artesanal

Reportagem e fotos: Keuly Vianney

WebDesign: Hanna Teixeira

11/01/2020

A ORIGEM

Há tempos, o homem usa sabonete para sua higiene pessoal, numa combinação entre gorduras e material alcalino. A primeira tentativa de produção, baseada numa pasta de gordura animal e cinzas, data de 2.800 A.C. na região do Oriente Médio. Ao se popularizar, tomou escala industrial no século 19. O sabonete artesanal é diferenciado porque é 100% natural, usando óleos vegetais e essenciais puros, argilas, etc. A glicerina é preservada, derivando do processo natural de saponificação e com alto poder hidratante.  

Nos dias quentes de verão, nada melhor do que um banho com aquele  sabonete refrescante e saudável para a pele. Mas produzir bons sabonetes nos dias atuais se transformou numa arte que envolve mão de obra artesanal e substâncias naturais. É a chamada saboaria artesanal, muito diferente dos artigos industrializados encontrados nas gôndolas de supermercados ou farmácias.

A saboaria artesanal é destinada a um público que evita substâncias químicas e sabe muito bem o que é realmente bom para o corpo e a alma. Em Passos, algumas saboeiras já praticam a perfeita saboaria, oferecendo um produto diferenciado para quem busca uma vida mais saudável e sustentável.

Para a funcionária pública Gisele Teles, a saboaria não bastava ser apenas artesanal. Tinha que ser vegana também. Nos últimos três anos, ela dedica parte de seu tempo à fabricação de sabonetes puramente artesanais e veganos. Ao enfrentar um problema de pele sensível da filha de 9 anos, se apaixonou pela arte da saboaria, a qual passou a produzir em casa e para venda com a marca Ravia Vegan Saboaria Vegana.

“Minha filha apresentou dermatite atópica, que causa grande ressecamento da pele. Ela não podia usar sabonetes industrializados e descobri o sabonete artesanal, indo de encontro à saboaria”, diz Gisele.

Depois de muitas pesquisas, fez dois cursos de saboaria artesanal com a mestre saboeira Natália Bisson, de São Paulo. “A paixão pela saboaria me contagiou e comecei produzindo sabonete oliva 100% natural. Toda família passou a usar também, porque percebemos a diferença na pele”, conta.

Ela garante que o sabonete artesanal deixa a pele muito hidratada e, com o uso contínuo, dispensa os hidratantes.

Gisele com suas duas filhas, que ajudam na produção do sabonete artesanal em família

Isso acontece porque a fabricação feita artesanalmente utiliza somente substâncias e matéria-prima retiradas diretamente da natureza, como óleos essenciais, argilas e plantas.

“O óleo essencial é extremamente natural, pois é retirado de partes da planta, e dá o cheiro aos sabonetes artesanais. Os óleos e manteigas vegetais são responsáveis pela dureza e espuma”, explica Gisele. “Mas a principal característica da saboaria artesanal é conservar a glicerina, que garante hidratação e umectação natural da pele, e não usar substâncias sintéticas, como conservantes e essências”, completa.

Gisele faz toda produção dos sabonetes artesanais e veganos, pois já desenvolveu mais de 20 fórmulas diferentes. Ela trabalha com duas técnicas, as quais determinam o tempo de produção e cura dos sabonetes, demorando de duas e seis semanas para ficarem prontos (confira Galeria abaixo; clique na foto para ler a legenda).

 Na fase final da produção, ela conta com a ajuda das duas filhas, Laura e Olívia, cujas sílabas deram origem ao nome da Ravia Vegan. Os sabonetes de Gisele têm validade de seis meses e custam a partir de R$ 15,00 o de 100g. 

“O sabonete artesanal pode ser usado para o corpo e rosto. Dependendo da conservação, dura até dois meses. Acredito que um bom sabonete deve ter sua glicerina conservada para manter a hidratação da pele, não usar produtos químicos e optar por insumos de boa procedência, como no caso dos óleos e manteigas naturais”.

Para Gisele, a saboaria artesanal é uma tendência mundial por trabalhar com materiais essencialmente naturais, além de criar um público consumidor de produtos menos agressivos ao organismo. “Muitas pessoas estão mais conscientes em relação à saúde do corpo e preservação da natureza. Por isso, estou aumentando o número de produtos naturais, como xampu, sabonete líquido, desodorante e bálsamo labial”, adianta.

Apesar de não ter contraindicação, Gisele lembra que as pessoas devem sempre consultar médicos de sua confiança. “A saboaria artesanal pode ajudar no tratamento de pele por ser natural, mas não se deve dispensar o acompanhamento médico”, finaliza.

Vanessa e o marido Hudson administram a loja de produtos típicos da saboaria artesanal

Saboaria típica

Já a saboeira Vanessa Santana Silva de Souza inaugurou em 2019 a loja Vanessa Saboaria com produtos típicos de saboaria, incluindo sabonetes artesanais, fitoterápicos e medicinais. Argila, extrato glicólico, óleos essenciais, manteigas e glicerina são suas principais matérias-primas.

“O sabonete artesanal tem uma diferença muito grande. Para começar, é feito manualmente, um a um, não possui conservantes e substâncias químicas. Inclui ativos naturais, extraídos com cuidado da natureza. Por isso, todas as pessoas podem usar, pois não tem contraindicação”, avalia Vanessa, que conta com o apoio do marido, Hudson Júnior de Souza.

Ela entrou no mundo saboaria em 2016, depois de passar pela perda de um bebê durante o primeiro mês de gravidez.

No período de luto, começou a pesquisar sobre produção de sabonetes infantis, conheceu os artesanais e se encantou pela saboaria. A partir dali, fez três cursos online e iniciou a fabricação artesanal de sabonete infantil. “Só fazia sabonetes personalizados para mães grávidas e seus eventos, como lembrancinhas de chá-revelação, batizado, nascimento, etc. Apesar do luto que estava vivendo, foi uma experiência muito boa porque comecei a trabalhar com algo que amo”, conta.

Em 2017, expandiu a produção para os adultos, criando uma linha fitoterápica de argila. Atendendo um mercado crescente, estudou e criou várias fórmulas de sabonete, chegando a 400 tipos diferentes.

“Com o crescimento da produção em casa, resolvi abrir a saboaria, porque percebi que havia um público carente desse tipo de produto na cidade. As pessoas estão mais conscientes e sempre temos retorno de algumas que fazem até tratamento de pele com os sabonetes”, afirma Vanessa.

Hoje, a loja é equipada com vários produtos artesanais e naturais, mas os sabonetes estão à frente das vendas. Na saboaria de Vanessa, os bons odores se misturam no ar e você encontra artigos para todos os sexos, idades e finalidades (confira Galeria abaixo; clique na foto para ler a legenda).

Criativa, ela está sempre inventando novidades com edição limitada de produtos para as quatro estações do ano. No final de 2019, lançou a linha Brisa do Mar, com um sabonete glicerinado gourmet. Sem falar nos sabonetes de suculenta, que são coloridos e ótimos para decorar e perfumar ambientes, e as combinações à base de frutas e flores.

No caso dos sabonetes, o preço é a partir de R$ 5,00 com peso inicial de 100g e validade de seis meses. Conhecedora do tema, ela indica quais as características de um bom sabonete.

 

“As pessoas vão muito pela fragrância, mas um bom sabonete deve ser o mais natural possível e com ativos naturais, como óleos, manteiga e glicerina, que enriquecem o sabonete e trazem a hidratação que a pele precisa”.

SERVIÇO

Ravia Vegan Saboaria Vegana, Passos (MG). Rua Irlanda, 366. Whatsapp: (35) 99950-5130. Facebook: Saboaria Ravia Vegan 1 / Instagram: @raviavegan.

Vanessa Saboaria, Passos (MG). Avenida da Moda, Box 3 na lateral do Mercadão Municipal de Passos. Funciona de segunda à sexta-feira das 13h às 18h e ao sábados, das 9h às 13h. Whatsapp: (35) 99755-6718 / Facebook: Vanessa Saboaria / Instagram: @vanessa_saboaria.

ANUNCIO