HISTÓRIA

fonte-matriz.jpg
fonte-rosario.jpg

Conheça história das fontes das
Praças da Matriz e do Rosário

Reportagem e fotos: Keuly Vianney
n.noticiar@gmail.com
19/07/2022

whats-logo.png

Recentemente, a Prefeitura de Passos reinaugurou a fonte luminosa da Praça Monsenhor Messias Bragança (Matriz) dentro do projeto de revitalização das praças da cidade. A fonte da Praça Geraldo da Silva Maia (Rosário) também será entregue dentro de alguns dias. Mas, você sabe a história desses dois chafarizes tão importantes para a vida social dos passenses? 
 

Historicamente, as fontes são consideradas elementos centrais das praças, importantes espaços públicos utilizados para o lazer e contato social entre os moradores visando a melhoria da qualidade de vida. Ali, adultos e crianças podem brincar, marcar encontros, bater papo e praticar esportes, além de servirem de palco para atividades culturais. Não à toa, capitais do mundo mantêm suas belas praças e fontes, como no caso de Roma, onde fica a famosa Fontana di Trevi, e de Paris, onde estão as fontes dos rios e dos mares, na Praça da Concórdia, aos pés da Champs Élysées. 

A obra nas fontes das praças da Matriz e do Rosário durou mais de 2 anos, com troca de bombas e parte elétrica, sem alteração das características originais, sendo efetuada pela Prefeitura de Passos e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae). A partir de agora, a manutenção da fonte da Matriz é da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agropecuária e Abastecimento, enquanto a fonte do Rosário é responsabilidade da Secretaria Municipal de Cultura e Patrimônio Histórico por ser um bem tombado pelo Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG).

 

Mais antiga, a fonte da Praça da Matriz não possui muitas informações como a da Praça do Rosário, que é um bem tombado pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Passos desde 2007 e, por isso, detém uma pesquisa mais detalhada em inventário. 

Pelas pesquisas realizadas pela reportagem, a fonte da Praça da Matriz foi construída em meados da década de 1930, durante o governo do prefeito Lourenço de Andrade (1888-1956), mas não é possível precisar o ano de construção e inauguração. No período, ele promoveu a remodelação das praças da Matriz e do Rosário com inspiração europeia. 
 

A fonte da Matriz não aparece em fotos da praça nas primeiras décadas do século 20, mas já consta das Lembranças de Passos, álbum fotográfico de 1936 produzido por Leonel Pretti. O professor de história Norival Barbosa, que foi chefe do Departamento de Cultura entre 2005 e 2008 durante o governo do prefeito Ataíde Vilela, informa que a prefeitura revitalizou a fonte em 2007, resgatando as estátuas das quatro estações do ano numa época de outrora que elas enfeitaram o espaço. 

Fotos raras que revelam as estátuas na praça da Matriz, e sem a fonte, na década de 1920 foram compartilhadas no grupo Memorial Fatos e Fotos de Passos, no Facebook, criado e administrado pelo artista Maurício Ponsancini a fim de resgatar um pouco da lembrança da cidade por meio de fotos e imagens antigas. Com mais de 11 mil seguidores, sempre há alguém divulgando fotografias históricas da cidade.

praça-matriz4.jpg
praça-matriz1.jpg

Fotos da Praça Matriz da década de 1920 mostra praça cercada, sem a fonte e com estátuas nos pedestais / Fotos: reprodução

"Antes da revitalização de Lourenço de Andrade, a praça era conhecida como Largo da Matriz e isolada com cerca para evitar entrada de animais, pois havia muita circulação de carroças na cidade. Já na década de 1930, o próprio prefeito Lourenço fez o traçado da praça como o conhecemos hoje. Em 2007, resgatamos as estátutas colocando-as em volta da fonte", lembra Norival, atualmente aposentado. 

Foto década de 1950 mostra fonte como ela ainda se apresenta hoje / Foto: Reprodução

praça-matriz3.jpg

Nas décadas seguintes, a fonte se manteve presente com o mesmo desenho na Praça da Matriz, como mostram fotos da época, incluindo a figura angelical no centro e com base de rosácea e grande espelho d'água.

Na revitalização de 2007, Norival se recorda da descoberta de que o funcionamento da fonte era simples e com um jato de água. Sem alterar as características originais, foram instaladas iluminação e quatro jatos de água mais potentes, que permanecem até hoje. 


"Me empenhei pessoalmente em resgatar as estátutas iconográficas alusivas às quatro estações do ano, com medidas de 1m50 que ficavam altas sob um pedestal na praça. Fomos buscar as estátuas de cimento em Ribeirão Preto (SP) e eu mesmo as pintei de branco", lembra Norival, informando que, depois, as estátuas sofreram ação de vândalos e foram destruídas. 

fonte-matriz.jpg

Fonte ganhou 4 jatos de água na revitalização de 2007

praça-rosario.jpg

Uma das fotos mais antigas da Fonte da Praça do Rosário, inaugurada em 1951, quando ainda existia igreja do Rosário ao fundo / Foto: Reprodução

Já a Fonte Luminosa da Praça do Rosário foi inaugurada em 1951 durante o governo de Geraldo da Silva Maia (1939-1959), progressista que se empenhou numa grande obra de remodelação do espaço. O político era um grande admirador de fontes e investiu na construção do chafariz no início dos anos 1950. 


Em suas visitas a Poços de Caldas, Geraldo Maia se encantou com as belas fontes e reuniu fotografias de vários modelos, que serviram de inspiração para propor a construção de uma fonte luminosa em Passos, jorrando águas em diversas cores. O responsável pelo projeto foi o artista José Barbosa Andrade e Silva, o Zé da Beca, que também fez o traçado de todo espaço. 

Consta do inventário do Conselho Municipal do Patrimônio que a estrutura da fonte foi construída na fábrica Presideu, de Machado (MG), por sugestão do médico Lourival Nogueira, amigo do prefeito Geraldo Maia. Na inauguração em 1951, o evento recebeu mensagem do então governador de Minas Gerais, Juscelino Kubitschek (1902-1976), que elegeu-se presidente do Brasil cinco anos mais tarde. 


A fonte da Praça do Rosário possui elementos simples e se enquadra nas formas geométricas e ornamentos da art déco com consenso de que representaria, também, a art nouveau, caracterizada pelas linhas assimétricas. Os dois movimentos surgiram na França, influenciando a arte, decoração e arquitetura no final do século 19 e início do 20.

Formas geométricas, frisos, vitrais coloridos, espelho dágua e tanque em forma de rosácea são as principais características da fonte luminosa, alternando arestas quadradas. Possui  jatos de água e spots de luzes coloridas de vermelho, laranja, verde e azul. 


A fonte da Praça do Rosário possui  grande importância para a cidade, pois sua instalação representou parte do processo de desenvolvimento urbanístico do município a partir da década de 1950. Na praça, e principalmente no entorno da fonte, iniciaram-se manifestações sociais e culturais, servindo de ponto de encontro da sociedade passense, sobretudo para os jovens dos anos 1950 e 1960. 

fonte-rosa.jpg

Fonte da praça do Rosário mantém suas características originais desde anos 50

Naquele período, eles viveram os tempos do “rela”, em que moças e rapazes flertavam e trocavam olhares ao redor da fonte luminosa, surgindo dali muitos namoros e casamentos. Ainda hoje, muitas pessoas relembram o fato, carregando-as de representações que marcaram a memória coletiva da cidade. 


Por um longo tempo, a fonte luminosa da Praça do Rosário ficou desativada, recebendo sua primeira intervenção elétrica em 1995. O principal restauro, no entanto, iniciou somente em 2006, quando houve uma ampla revitalização para melhorar sua visualização nos anos 2000. 

Fonte do Rosário em 2017, depois de ficar um tempo inativa por falta de manutenção

praça2.png

Neste restauro, instalou-se mais pontos de iluminação e procurou-se aproximação das cores originais da fonte, mantendo a harmonia com seu estilo arquitetônico e revertendo eventuais descaracterizações ao longo do tempo. Passados cinco anos após a revitalização, a fonte não recebeu manutenção periódica e ficou novamente inativa, voltando a funcionar somente em 2017.

VEJA MAIS