top of page

SAÚDE

Lavar as mãos

Passenses transformam medidas contra Covid-19 em hábitos saudáveis

Texto: Keuly Vianney
n.noticiar@gmail.com
16/05/2023

whats-logo.png

Mesmo com o fim da emergência sanitária da Covid-19 decretado no início do mês  pela Organização Mundial da Saúde (OMS), passenses se renderam às ações de combate à transmissão do novo coronavírus. Agora, o que era medida obrigatória e necessária, virou rotina, pois, durante a crise sanitária global, foram criadas práticas que se transformaram em hábitos saudáveis de higiene, os quais vão ficar para sempre na vida das pessoas.  


Desde 2020, quando o Sars-Cov-2 desencandeou a pandemia, órgãos de saúde divulgaram medidas sanitárias contra a Covid-19 que cada morador do planeta podia fazer para evitar a disseminação do vírus. As mais populares são: 
*Lavar as mãos com mais frequência
*Utilizar álcool em gel
*Higienizar objetos
*Usar máscara 
*Evitar aglomerações

Mas, há até quem passou a tirar os sapatos antes de entrar em casa. Carregar um pequeno recipiente de álcool em gel dentro da bolsa ou nos bolsos também virou rotina. 


A fonoaudióloga Aline Freire Jorge é uma adepta dos hábitos adquiridos durante a pandemia, principalmente porque seu local de trabalho em Passos é da área de saúde. "Eu ainda uso máscara em alguns lugares, como no meu trabalho no hospital. Também fiquei com hábito de lavar as mãos e uso de álcool em gel várias vezes ao dia", conta. 

Já a dona de casa Cândida Piacezzi, que mora no bairro Vila Rica, também viu as medidas de higiene tornaram-se um hábito na vida, como higienizar tudo que entra em casa. "Durante o dia, lavo as mãos mais vezes e acostumei usar álcool em tudo", garante. 


Outra dona de casa  passense, Wania Machado, reforçou as ações de higiene dos alimentos nos anos duros de pandemia. Hoje, o hábito é lavar tudo com sabão e buchinha antes de comer. "Higienizo legumes, frutas e folhas. Lavo bem as mãos, pois mesmo que a dona de casa tenha as mãos sempre limpas, nunca é demais a limpeza", pondera. 

Uma boa lavada nas mãos dura cerca de 20 segundos

Lavando as mãos

Todos esses hábitos também são necessários para evitar a contaminação de outras doenças, como gripes e resfriados, que são comuns durante o outono/inverno. Veja porque é importante manter alguns desses hábitos daqui para frente: 

 

Lavar as mãos
A limpeza das mãos com água e sabão é uma das principais maneiras de evitar a transmissão não só de diversos vírus, mas também de doenças parasitárias e bacterianas. A própria OMS afirma que lavar as mãos de forma correta evita até 40% das infecções. A prática também evita a maioria de gripes, resfriados, hepatites, intoxicação alimentar e infecções hospitalares, que são transmitidas por mãos contaminadas. O ideal é uma lavagem de cerca de 20 segundos para uma boa higienização. 

Usar álcool em gel
O álcool em gel 70% é o preferido para higienização de mãos e objetos, sendo o mais indicado entre os principais órgãos de saúde do mundo desde o início da pandemia, incluindo a OMS. Com essa porcentagem, ele age como antisséptico a fim de eliminar boa parte dos microrganismos patogênicos, prevenindo contágio de doenças respiratórias e irritação da pele.

 

O ideal é aplicar quantidade suficiente em uma mão em forma de concha para, depois, esfregar as duas mãos, palma a palma e com os dedos entrelaçados. 

Desinfetante para as mãos

Álcool em gel 70% virou mania entre muitas pessoas com pandemia

Máscaras já demonstraram eficácia no combate às doenças respiratórias

Pessoas com Máscaras

Usar máscara
O brasileiro já se acostumou a usar a máscara desde a pandemia e muitas pessoas adotaram o acessório como rotina, principalmente em ambientes fechados ou com pouca ventilação. As máscaras agem como barreira e protegem as vias aéreas, pois filtram e impedem a passagem de gotículas e partículas aerossóis infectadas.

 

Seja descartável ou com proteção mais encorpada, como a N95, está mais que comprovado cientificamente que a máscara faz seu trabalho com eficiência. Cultura que o mundo o inteiro adotou, mas os japoneses já usavam o acessório para não transmitir doenças para o próximo, como no transporte público ou outros locais de maior aglomeração de pessoas. Para a OMS, a máscara é uma ferramenta vital para combater a Covid-19. 

Higienizar alimentos e objetos
A OMS e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) sempre divulgaram que seja pouco provável a transmissão da Covid-19 por meio de alimentos ou embalagens, pois o novo coronavírus precisa de um hospedeiro, humano ou animal, para se multiplicar. Até o momento, não existe nenhuma evidência a respeito de contaminação por esses meios.

 

Por via das dúvidas, não custa nada passar um álcool nas embalagens, lavar as mãos após o manuseio deles, higienizar superfícies, deixar verduras, legumes e frutas de molho por 15 minutos numa solução saneante (1 litro de água potável para uma colher (sopa) cheia de água sanitária). Ainda é recomendado cozinhar bem alimentos crus, como as carnes. 

Tirar os sapatos em casa
Alguns brasileiros também se renderam ao hábito de tirar os sapatos ao voltar da rua, como já fazem os japoneses e árabes por uma questão cultural. A prática evita a entrada em casa de poeira, sujeira, vírus, bactérias, que se agarram à sola do calçado, e a proliferação de doenças e infecções.

 

A mais comum é a E.Coli, perigosa bactéria causadora de infecções intestinais. O recomendado é ter um local para deixar os sapatos na entrada de casa ou um pequeno móvel. 

Amarrando sapatos

Hábito de tirar sapatos antes de entrar em casa aumentou na pandemia

VEJA MAIS

Hand Sanitizer_edited.jpg

5 repelentes caseiros contra a dengue

IMG-20220426-WA0025_edited.jpg
meditar.jpg
bottom of page