GALERIA

ECONOMIA

6 dicas para aproveitar

Black Friday 2020

Texto: Keuly Vianney

WebDesign: Hanna Teixeira

25/11/2020

Mesmo com a pandemia, acontece na próxima sexta-feira, 27 de novembro, a tradicional Black Friday. A diferença nesta edição é que se espera uma maior compra via online para se evitar a propagação do novo coronavírus nas lojas físicas. Para fugir de armadilhas por trás da liquidação, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) preparou um especial com informações que podem a ajudar a economizar e não cair em enrascadas (confira 6 dicas na Galeria acima; arraste e clique nas fotos para ler legendas).

Dentre as principais orientações do Idec, estão planejamento, pesquisa e segurança a fim de aproveitar as promoções que realmente valham a pena, principalmente para quem vai comprar na internet. Por isso, checar a reputação de um site antes de comprar é imprescindível. Instituições bancárias também estão orientando seus clientes na Black Friday.

A megapromoção virou febre no Brasil desde 2010. A tradição, no entanto, tem origem nos Estados Unidos, promovida pelo varejo sempre na quarta sexta-feira de novembro, dia seguinte ao feriado de Ação de Graças no país, visando renovar estoques para o Natal.  

De acordo com o Idec, uma das principais regras para se dar bem na Black Friday é pesquisar. Se possível, semanas antes das ofertas aparecerem para se ter um parâmetro de preço e avaliar se a liquidação realmente compensa.

“Os preços podem até parecer tentadores, mas é importante se planejar para não complicar o orçamento com a Black Friday. Logo depois da data, chega a hora de pagar o IPTU, o IPVA, a matrícula escolar, o plano de saúde. E dessas contas não dá pra se livrar”, informa o especial.

A dica é listar os produtos que precisa ou gostaria de adquirir por um valor abaixo do mercado (algumas lojas anunciam descontos abaixo da metade do preço). Assim, não se gasta mais do que se pode. Além disso, é bom estabelecer um limite de gastos para saber quanto da sua renda será comprometida com as novas compras.

De acordo com o Idec, as compras efetuadas durante a Black Friday seguem as normas do Código de Defesa do Consumidor. Caso não haja cumprimento da oferta, cabe reclamar no Procon. Por isso, é recomendável guardar folheto das promoções ou tirar um print screen (foto da tela do computador ou celular) com a demonstração do produto, bem como data e hora da pesquisa para o consumidor conferir se a oferta está sendo cumprida.

Muitas pessoas desconfiam das ofertas apresentadas no período. Para sanar esta dúvida, o Idec orienta visitar sites e lojas diferentes com antecedência para pesquisar o preço praticado, condições de venda e especificações do produto. Se você não teve tempo para essa prévia, alguns sites e os Procons podem ajudar, pois fazem monitoramento e ajudam na verificação do histórico de preços.

Algumas empresas vão manter esquema especial para atender os consumidores in loco, principalmente as grandes lojas de departamento, que já iniciaram as vendas com descontos nos últimos dias. Caso prefira ir nesses locais, previna-se usando máscara, mantendo distanciamento e higiene das mãos com álcool em gel.

VEJA MAIS

Veja sites confiáveis para monitorar o avanço do coronavírus no País e no mundo

Mantenha a prática de cuidar das flores traz bem-estar durante a pandemia

Equilíbrio dos chacras

Com aumento dos problemas emocionais, relaxamento surge como alternativa

Siga-nos!

facebook-logo-button.png
instagram.png

2019-2021  © Copyright Noticiar.net