GALERIA

SAÚDE

Como evitar a “vacina de vento”

Texto: keuly Vianney

19/02/2021

whats.png

Nas últimas semanas, muito se falou no Brasil sobre as denúncias da “vacina de vento” contra a Covid-19, aquela em que o produto não foi injetado ou a seringa estava vazia. Em várias cidades, a Polícia já investiga casos de aplicação em idosos e que só vieram à tona porque os familiares gravaram vídeos nos celulares e divulgaram em redes sociais. Para se prevenir na hora da imunização, confira as orientações dos especialistas na Galeria acima (arraste as fotos e clique na imagem para ler a legenda).

Conforme especialistas, toda pessoa tem direito de pedir para olhar o frasco da vacina e a seringa antes e depois da aplicação. Alguns Estados foram obrigados a mudar o protocolo de imunização esta semana, como no Rio de Janeiro, onde os técnicos de enfermagem foram orientados a mostrar as seringas cheias antes da aplicação e, depois, vazias.

Os protocolos sanitários orientam que o próprio profissional de enfermagem deva mostrar a seringa antes, durante e depois do procedimento. Por isso, a população deve ficar de olho no trabalho deles.

Os idosos têm direito a acompanhante que, na hora da imunização, também pode prestar atenção no momento da aplicação, observando todo o processo. Isto é para evitar que as pessoas pensem que foram vacinadas, mas na verdade não receberam a imunização contra o novo coronavírus corretamente.

Ainda não se apurou quais os verdadeiros motivos de não aplicar a vacina por parte dos profissionais. Porém, apura-se o desvio de doses da vacina com aplicação falsa. O funcionário pode ser autuado pelo crime de peculato, com penas de até 12 anos de prisão.

VEJA MAIS